Dieta Mediterrânea e redução da inflamação


Dieta Mediterrânea e redução da inflamação

Publicado em 06/04/2018 às 13:29



A dieta mediterrânea tem chamado atenção de muitos pesquisadores, pelos efeitos benefícios que proporciona – uma vez que incentiva o consumo de frutas, verduras, legumes, oleaginosas, leguminosas e peixes, que fornecem vitaminas, minerais e diversos fitoquímicos, que auxiliam na redução de condições inflamatórias1,2.

Recentemente, um estudo realizado com a população espanhola mostrou que maior aderência à dieta mediterrânea – verificada por questionário de frequência alimentar – esteve associada a menores índices de Proteína C reativa – marcador de inflamação, que pode apresentar elevação em algumas doenças, como as cardiovasculares3.

Outro estudo, também realizado com população europeia, identificou que os polifenois – ingeridos em altas concentrações na dieta mediterrânea – são responsáveis pela redução de biomarcadores inflamatórios como a Interleucina 6 (IL-6) e Fator de Necrose Tumoral (TNF-alfa) 4.

Para complementar, uma análise conduzida com pacientes diabéticos correlacionou a aderência à dieta mediterrânea com aumento nas concentrações de adiponectina – componente anti-inflamatório que se apresenta reduzido nestes casos5.

Portanto, os princípios da dieta mediterrânea podem auxiliar na redução do risco de condições inflamatórias, que apresentam altos índices de morbidades e mortalidade. Suas características podem ser, facilmente, incorporadas na nossa alimentação, desde que orientada por um profissional nutricionista, capaz de avaliar as necessidades nutricionais de forma individualizada.

Referências Bibliográficas:

1-FITÓ, M.; KONSTANTINIDOU, V. Nutritional genomics and the mediterranean diet´s effects on human cardiovascular health. Nutrients; 8(4):218,2016.

2-PETERSSON, S.D.; PHILIPPOU, E. Mediterranean diet, cognitive function, and dementia: a systematic review of the evidence. Adv Nutr; 7(5):889-904,2016.

3-LAHOZ, C.; CASTILLO, E.; MOSTAZA, J.M. et al. Relationship of the adherence to a Mediterranean diet and its main components with CRP levels in the Spanish population. Nutrients; 10(3): E379, 2018.

4-MEDINA-REMÓN, A.; CASAS, R.; TRESSERRA-RIMBAU, A. et al. Polyphenol intake from a Mediterranean diet decreases inflammatory biomarkers related to atherosclerosis: a substudy of the PREDIMED trial. Br J Clin Pharmacol; 83(1):114-128,2017.

5-MAIORINO, M.L.; BELLASTELLA, G.; PETRIZZO, M. et al. Mediterranean diet cools down the inflammatory melieu in type 2 diabetes: the MEDITA randomized controlled trial. Endocrine; 54(3):634-641, 2016.       


ASSINE NOSSA NEWSLETTER E RECEBA PROMOÇÕES E CONTEÚDOS EXCLUSIVOS